.

.

.

Psicomaquia.


Fez escuridão, e surgiu luz.
Cair nas ruínas, ou edificar com restos?

Excluindo do humano, todos os defeitos;
resta a abstinência da vida.

Um ser lúdico, que sustenta virtudes,
na busca do prazer.
Perseguindo insaciavelmente,
por exageradas emoções.

Completo e imperfeito, o intelecto tenta explicar,
a razão da vida, de culpas e verdades incompletas.

Defeitos são identidades,
da trajetória, e questionamento da humanidade.

E mesmo que o oposto, não seja tão divulgado,
para cada imperfeição, existe uma virtude.

Será que esse equilíbrio,
é o que seguem glórias e fracassos humanos?

Escrito: 12/09/2012 Por: Fernando do Amaral - Publicado: 12/07/2014 Google+

Leia também: